Crónicas do Fidalgo

Pessoas

Ainda existe fé na Humanidade!

O Haiti é um dos países mais pobres do mundo e o mais pobre do hemisfério ocidental. As razões prendem-se com a instabilidade política duradoura. É que a História política do Haiti tem por base uma sucessão de ditaduras. A acrescentar a este facto, um terramoto abalou o país em 2010, o que resultou num território completamente destruído. O número de mortos chegou a cerca de 250.000, e 1,5 milhões de pessoas ficaram desalojadas. Esta catástrofe, juntamente com o atraso dos esforços para recuperar o país, resultam num clima de violência e insegurança.

A Bored Panda contou a história de Jérémie Mercie, que tenta atenuar ao máximo a situação de miséria de muitas crianças no Haiti. O homem de 38 anos é conhecido como “Papa Jéremie” e adoptou 62 crianças, que foram abandonadas, abusadas sexualmente ou as suas famílias mortas. Sem Jérémie, estas crianças seriam possivelmente obrigadas a recorrer ao crime, prostituição e até seriam escravizadas, algo que é comum no Haiti. Sem Jérémie, não teriam alimentos, roupas e protecção.

Jérémie não teve um passado fácil. A mãe foi escrava e as suas condições de crescimento foram reduzidas. Trabalhou desde muito cedo. Passou pelas Nações Unidas com a função de oficial de comunicações quando o tremor de terra atingiu o Haiti. Deparado com inúmeros corpos à sua volta, nomeadamente de crianças, levou consigo as três que continuavam vivas. Foi assim que começou a aventura como “Papa” Jérémie.
Há medida que eram calculados os danos do terramoto, Jérémie conheceu novas crianças e foi acolhendo quem conseguia. Existiam condições de pobreza tão extremas que pais abandonaram filhos à porta de Jérémie, por não os conseguirem sustentar. Hoje, são 62 crianças que estão a seu cargo.Nem tudo correu bem, houve alturas em que pagar a renda se tornou um desafio e chegou mesmo a resultar num despejo. Mais tarde, conseguiram uma nova residência.
Houve alturas em que a alimentação era à base de arroz e milho. No entanto, Jérémie sempre se recusou a desistir de acolher quem conseguisse e de fornecer as necessidades básicas para a sobrevivência de todos os jovens. De entre as crianças que adoptou, existe um jovem que Jérémie conheceu como dependente de drogas e da prostituição. Agora é o melhor aluno da sua turma e conselheiro de jovens rapazes.

Para além de ter acolhido 62 crianças, Jérémie trabalha nos locais mais pobres do Haiti, construindo edifícios como escolas e contactando professores.

Jérémie é o exemplo de alguém que torna o mundo um lugar melhor. Que mesmo com todas as dificuldades, decidiu que nunca ia desistir de ajudar os seus 62 filhos. Existem histórias realmente inspiradoras!