Crónicas do Fidalgo

Pessoas

Mulheres a praticar desporto?!?

REUTERS - Amr Abdallah Dalsh

REUTERS - Amr Abdallah Dalsh

Para nós, é um dado adquirido. Homens e mulheres podem praticar desporto, o desporto que quiserem, podem ser os melhores nas áreas a que se dedicarem. Mas no Egipto não é bem assim.

É por isso que um grupo de mulheres está a agitar normas sociais e a atrair atenções através do Parkour, uma prática desportiva que envolve corrida, escalada e saltos acrobáticos em solo e prédios. Uma vez por semana reúnem-se num parque abandonado nos subúrbios do Cairo e sobem paredes, saltam, desafiam-se a si próprias e às normas conservadoras do país.

Como noticia a Reuters, estas mulheres têm treinado todas as semanas nos últimos seis meses com o objectivo de formar a primeira equipa profissional de Parkour do Egipto. Os treinos têm-se focado no ganho de força na parte superior do corpo e nas diferentes formas de lidar com o ambiente que as rodeia.

No Egipto as mulheres costumam ser muito mais discretas, pelo que estes treinos - que são também uma tomada de posição - têm atraído olhares atentos. Há multidões que se juntam para observar ou filmar e tirar fotografias. E as mulheres continuam a treinar, batem o pé: o desporto não é exclusivo dos homens.
“É natural que as pessoas não aceitassem porque não estavam habituadas”, disse uma das praticantes, Zayneb Helal. “Não aceitavam a ideia de que raparigas praticassem desporto, quanto mais na rua”, acrescentou.

REUTERS -Amr Abdallah Dalsh

REUTERS -Amr Abdallah Dalsh

É muito pouco comum que mulheres pratiquem desportos como Parkour nas ruas do Egipto. Aliás, em 2017, um inquérito levado a cabo pela Thomson Reuters Foundation considerou o Cairo como uma das cidades mais perigosas para as mulheres. É, por isso, impressionante tomar conhecimento da resiliência deste grupo de egípcias que, guiadas pelo treinador Mohamed Omran, aprendem a ultrapassar obstáculos, a aterrar correctamente depois dos saltos e a ver oportunidades nos edifícios à sua volta. “As mulheres treinam e há cada vez mais a juntar-se!”, disse Omran. “À medida que a prática do desporto se propaga, a aceitação do treino das mulheres aumenta e não é incomum que mulheres tenham equipas e treinem”, adiantou.

Boas notícias para todos nós. Homens e mulheres. Como sabem, sou embaixador da #HeForShe Portugal, uma organização que tem por objectivo construir sinergias para a reflexão e acção colectiva e que pretende promover a igualdade de oportunidades entre as mulheres e os homens, bem como actuar na defesa dos direitos das mulheres.
Não é, portanto, de estranhar que este tipo de notícias me inspire. Não é à toa que, quando integrei este projecto, escolhi a frase: “Serás quem quiseres, como quiseres, e que ninguém te diga o contrário”.