Crónicas do Fidalgo

Motores

Uma mota em que nunca pensei andar!

Estou a falar da Yamaha XV 950 Racer.

Sou apreciador de toda e qualquer mota customizada mas o meu fraquinho vai para… *Rufem os tambores*… As bobbers e choppers! Se bem que, nos dias que correm - apesar de ainda se marcarem diferenças nos estilos - há cada vez mais uma tendência para as criações não obedecerem a qualquer critério estilístico!

Quando estava a caminho da sede da Yamaha, em Alfragide, na minha softail, não foram poucas as vezes em que quis voltar para trás e partir estrada fora na minha “menina”. Mas confesso que estava com vontade de experimentar a XV 950 Racer. Desde que fiz a sessão para a revista REV, com os modelos da família Sport Heritage! Só não sabia que acabaria por levar a Yamaha até Barcelona e, depois, de volta à base.

1 / 3

2 / 3

3 / 3

É uma mota muito divertida de andar, tal como as sportsters da Harley-Davidson. Tem uma boa posição de condução porque, mesmo com os clip ons, não vamos tão deitados assim, o que não cansa demasiado os braços com a pressão do tronco.

Destaque também para o conforto do banco: mesmo fazendo tantos quilómetros, foram poucas as alturas em que me queixei! Já o calor que sai do motor… Em dias de Inverno é uma maravilha, mas com calor… Ui! Nada a que, na verdade, já não esteja habituado!

190 km/h de velocidade máxima com boa estabilidade já é bom! É a melhor relação que podemos ter. Agora, só entre nós: houve estradas em que vim a “dar chicote na menina” e nunca me deixou mal! Sempre 90… 190!!!

12 litros de combustível e correu tudo bem. Para mim, é o mínimo!

O único defeito: não existe sinfonia. Nada sai pelos escapes. Mas não se preocupem que eles resolvem! Neste aspecto, a Yamaha está um passo à frente, neste estilo de motas. Criarem a Yard Built foi uma aposta mais que ganha! Por isso, fiquem descansados que sairiam com uma menina só vossa!