Crónicas do Fidalgo

Lugares

Martim Moniz: que futuro?

O Martim Moniz, coração da cidade de Lisboa, nem sempre teve o aspecto urbanístico que tem hoje. A sua praça central ladeada pelo Centro Comercial da Mouraria e pelo Hotel Mundial, tem estado no centro de muitas discussões, ideias urbanísticas, propostas arquitectónicas, avanços e, claro, muitos recuos. A proposta que está, agora, em cima da mesa é a construção de um mercado com contentores, mesmo no centro da praça.

A proposta que Augusto Vasco Costa desenhou em 2015

A proposta que Augusto Vasco Costa desenhou em 2015

Na apresentação pública do novo projecto comercial para a praça, que aconteceu recentemente, as críticas à Câmara Municipal de Lisboa e ao concessionário do mercado do Martim Moniz foram unânimes e duras. Como noticia o Público, na sessão não se ouviram intervenções favoráveis à iniciativa - excepto as que foram feitas pelo promotor.
É que tanto os moradores como o presidente da junta sublinham que, o que é verdadeiramente importante, é criar ali um espaço verde, de descanso, no meio do bulício da Baixa.

Vista aérea da proposta de Augusto Vasco Costa em 2015

Vista aérea da proposta de Augusto Vasco Costa em 2015

Ainda nada está decidido; desde 1995 que não se encontra uma solução visualmente apelativa, tanto do ponto de vista urbanístico como arquitectónico. É o arquitecto Augusto Vasco Costa que propõe uma ideia diferente, com a valorização daquele que é o ex-libris da praça do Martim Moniz, a Capela da Nossa Senhora da Saúde. Augusto propõe, assim, uma praça central com uma reorganização dos quiosques já existentes, dispostos em torno de um largo, com a capela enquanto elemento central. Augusto Vasco Costa, mais do que ver a sua proposta aprovada, quer aprofundar o debate em torno do Martim Moniz.

Até lá, vamos continuar a ver o Martim Moniz tal como está, com a enorme diversidade cultural que lhe é característica.

Proposta de 1995, onde estava prevista a criação de uma galeria em frente ao Centro Comercial da Mouraria e o desvio do trânsito por trás deste edifício.

Proposta de 1995, onde estava prevista a criação de uma galeria em frente ao Centro Comercial da Mouraria e o desvio do trânsito por trás deste edifício.