Crónicas do Fidalgo

Experiências

"Inesquecíveis Viagens de Comboio" (ou como viajar sem sair do sofá)

Sabem quando nos sentamos no sofá simplesmente para relaxar, sem pensar muito, e damos por nós a fazer zapping até que encontramos algo que nos prende? Pois bem. O meu plano inicial era descansar. Dei por mim a “viajar”.

Isto aconteceu há uns dias mas só me apetecia correr para comprar um bilhete de comboio, naquele momento!


Tudo porque me deparei com a série “Inesquecíveis Viagens de Comboio”, da RTP. Naquele episódio específico, a viagem começava na Andaluzia, Sul de Espanha, onde Philippe Gougler, o “guia”, se encontrava a bordo do mítico comboio de luxo Al Andalus, o “cruzeiro” dos comboios. Num cenário brindado pelo sol, Philippe descobriu - e levou-nos a descobrir, com ele - enormes cabines particulares num total de 15 carruagens e um limite de 57 passageiros. É fácil perceber que espaço não falta para esticarmos as pernas! E é bom que não, porque este luxo - e tantos outros - tem um preço: uma viagem para duas pessoas pode ultrapassar os 10 mil euros.

Gougler descobre Granada e as suas jóias e segue pelo deserto de Tabernas, onde vive um índio diferente dos outros.

Seguiu depois viagem para Madrid naquele que é o TGV Espanhol, também conhecido por “El Pato”, graças à forma do seu bico. Perto de Madrid, em Mejorada del Campo, o nosso “guia” deixou-se levar pelo ambiente, para se deixar surpreender.

Para além de esta série ser incrível e representar um pouco a maneira como gosto de descobrir o mundo, destaco Justo Gallego Martínez, um ex-monge de 93 anos que, pelas próprias mãos, está a construir um santuário. Movido pela fé. Há 56 anos. Desde há 21 que conta com a ajuda de outro amigo e devoto, Angel, que tem em Justo um “segundo Deus”. À semelhança da de Gaudí, esta obra vai levar muito tempo até que fique concluída. Ainda assim, esta comparação é feita à revelia dos gostos de Justo! É que ele não é apreciador da Sagrada Família, de Barcelona, por ter muitos ângulos e bicos!

Justo Gallego Martinez

Justo Gallego Martinez

A Catedral de Justo

A Catedral de Justo

Justo tem nele o que já não encontramos nas pessoas, nos dias que correm. O sentido de missão e a convicção no que está a fazer, apesar de o mundo à sua volta não lhe dar o valor nem concordar com a sua crença.

Vejam este episódio e vão perceber do que vos falo.

No fundo, viajar são os lugares, os sabores, os cheiros… Mas muito as pessoas.