Crónicas do Fidalgo

Experiências

Um restaurante sem caixote do lixo? É possível.

Pelo menos, é a isso que se propõem os autores do projecto Kitchen Dates.

A história começou a desenhar-se numa sala improvisada de uma casa em Campo de Ourique (Lisboa), onde Maria Antunes e Rui Catalão começaram a servir experiências gastronómicas (brunches e jantares), em que todos os ingredientes tinham origem vegetal. A essas experiências deram o nome de Kitchen Dates, que vão ganhar nova morada já em Setembro deste ano, em Telheiras.

Maria e Rui estão mais preocupados com a pegada ecológica dos alimentos. é por isso que no futuro espaço não vai haver caixote do lixo.

"Mas como?!?", perguntam vocês. Pois bem, tudo será aproveitado.

No novo espaço, que será como uma extensão da casa onde começaram os Kitchen Dates, vão poder saborear-se alimentos biológicos, sazonais, vindos das mãos e da terra de produtores locais.

Está visto que este não será um restaurante como os que a maioria de nós está habituado.

O restaurante vai seguir os mesmos moldes e princípios do projecto que começou há dois anos, num apartamento em Amesterdão, na Holanda. Para usufruir de um brunch ou de um jantar, deverá ser feita a reserva prévia e depois... é apreciar e saborear, num ambiente caseiro, de cozinha aberta. A lotação máxima será de 20 pessoas.

Pela porta do restaurante só vão entrar produtos que possam ter um de três fins: serem comidos, reaproveitados ou transformados em composto. Se não cumprirem um destes requisitos, nem sequer entram!

A pegada ecológica de cada um dos ingredientes também pesa na decisão de utilizá-los.

Senão vejamos: Maria e rui estão a testar alternativas com amêndoa para um semi-curado de caju. Em Portugal temos amêndoa com abundância e o caju vem de longe. As tâmaras, usadas como adoçante, serão substituídas por mais frutos secos, ameixas e damascos.

O café e o cacau, por exemplo, poderão não ser bem-vindos, a não ser que os autores do projecto encontrem uma solução de baixo impacto para o ambiente.

Também as especiarias, por virem de longe, terão entrada interdita. Em vez delas marcará presença nos pratos a pimenta-rosa e as ervas aromáticas, como explicam Maria e Rui ao Público.


No site do projecto vai estar disponível em breve um calendário a partir do qual os interessados poderão efectuar reservas.

Entretanto, esteve a decorrer até 12 de Julho uma campanha de angariação de fundos que pretendia angariar dez mil euros.

Ainda assim, ressalvam os autores do projecto, os custos previstos são quatro vezes superiores ao valor que solicitam.

Saibam mais sobre o Kitchen Dates aqui: