Crónicas do Fidalgo

Experiências

Waste4Coffee: Quando o lixo vale um café!

República Dominicana. Joana Costa, de 19 anos, estava de férias com a mãe quando, num passeio pela praia, decidiram começar a apanhar o lixo que iam encontrando pela areia. Até que o dono de um restaurante da praia decidiu recompensá-las pelo acto com a oferta de um sumo.

Fez-se luz: esta iniciativa podia ser replicada em Portugal. Como noticia a Magg, Joana leva a peito o tema da sustentabilidade e tem por hábito fazer caminhadas entre as praias de Oeiras e S. Pedro do Estoril, para apanhar lixo do chão.

Daí até começar a contactar - e consciencializar - restaurantes, cafés e bares de praia, foi um passinho. Joana estava determinada em criar um movimento semelhante ao que viu acontecer na República Dominicana. No fundo, todos têm a ganhar, certo?

“Só troquei o sumo pelo café, porque em Portugal é uma bebida mais comum”, explicou à MAGG.

O projecto começou no início de Maio, com apenas um espaço, o Wind Surf Cafe. No início de Junho já eram 15 os estabelecimentos que tinham aderido à iniciativa, onde os interessados podem entregar baldes de lixo e receber um café em troca. O Restaurante Nortada, na Praia Grande, e o Bar Lobo do Mar, na Praia das Maçãs, são alguns dos pontos aderentes. Mais recentemente o Bar do Guincho, na Praia do Abano, abraçou a iniciativa também.

Procurem por um autocolante à porta com a frase Waste4Coffee. Foi este o nome que Joana deu ao projecto. À vossa espera terão dois baldes, prontos para receber o lixo que consigam apanhar dos areais. Depois de cheios, entreguem-nos novamente no estabelecimento e recebam a recompensa!

“Tentamos que o lixo recolhido seja todo reciclado, mas essa parte já é da responsabilidade de cada restaurante”, adianta Joana.

E também as beatas terão o seu destino! “Estamos a tentar que seja tudo enviado para Guimarães, onde existe uma empresa que transforma beatas em tijolos”. Trata-se da eTijolo. Para construir um tijolo a empresa utiliza 350 beatas. Se tivermos em conta que se produzem 16 milhões de beatas em Portugal, não me parece que tão cedo a eTijolo venha a sofrer de falta de matéria-prima!

Joana tem procurado a divulgação do projecto por parte das autarquias. Além do autocolante do Waste4Coffee, está previsto um panfleto de comunicação da iniciativa, para que todos saibam como fazer de um dia de praia um momento mais sustentável!

Acompanhem o projecto nas redes sociais!

Facebook: @waste4coffee
Instagram: @waste4coffee