Crónicas do Fidalgo

Experiências

A primeira Bienal de fotografia do Porto é sobre um tema actual

Dinis Santos

Unir a prática artística à responsabilidade ética ligada ao ambiente. Esta é a frase que pode descrever a Ci.CLO Bienal, a primeira Bienal de Fotografia do Porto.

A Ci.CLO trata-se, segundo Virgílio Ferreira refere ao Observador, de uma estrutura independente de pesquisa e criação na área da fotografia que estabelece uma relação com outras áreas artísticas, ambientais e sociais. Para além disto, fornece aos artistas um espaço de ensaio para criação.

O mote da Bienal é “Adaptação e Transição”, e foca as mudanças culturais e ambientais do planeta, bem como a influência do ser humano nas mesmas. O objectivo é promover a reflexão acerca desta temática e procurar respostas aos desafios de hoje.

A Bienal de Fotografia Do Porto está a acontecer até 2 de Julho. Ao todo são 16 exposições, 53 artistas, alguns deles internacionais, 11 curadores e alguns alunos da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Escola Superior Artística do Porto e Escola Artística Soares dos Reis, que aqui apresentarão trabalhos maioritariamente inéditos. Sempre na óptica, segundo Virgílio Ferreira, de promover novos artistas e fomentar uma relação mais justa entre os indivíduos e o planeta.

As exposições podem ser visitadas em 14 espaços, entre eles o Palacete dos Vasconcelos, a Casa do Infante, a Reitoria da Universidade do Porto e as estações de Metro dos Aliados e São Bento.

Muitos dos materiais utilizados nas exposições são reciclados, o que contribui de forma prática para a questão ética levantada pelo uso de plástico, por exemplo.

Podem saber mais sobre a Ci.CLO Bienal aqui.