Crónicas do Fidalgo

Experiências

Claire Rosen e os animais à mesa

Claire Rosen

Claire Rosen

Claire Rosen, fotógrafa americana de 35 anos, dedica a sua vida a fotografar a Natureza. É a personalidade que vos trago hoje. O trabalho de Claire já foi distinguido pela Forbes ao entrar para a lista dos artistas reconhecidos abaixo dos 30, em 2012 e 2013, na área da arte e do design. Actualmente, apresenta-nos um projecto que tem tanto de original quanto de belo. Claire decidiu colocar animais em torno de uma mesa e retratar uma refeição - acto tipicamente humano. Assim surgiu o projecto The Fantastical Feasts.

Claire é uma amante de animais e a este projecto aliou o objectivo de fazer os humanos olharem para os animais retratados nas suas fotografias, e pensarem qual o seu papel perante as espécies com quem partilham o planeta.

O mote foi o facto de hoje os animais serem ainda, por vezes, tratados com inferioridade. Para isso, a fotógrafa procura os animais mais relevantes do local, por serem típicos, ou por se encontrarem em risco de extinção. Com esta acção, tem esperança de conseguir provocar alguma mudança na mentalidade de cada espectador.

Em entrevista ao P3, a fotógrafa refere que o cenário e acessórios são adaptados a cada espécie. Para além disso, este projecto pessoal foi construído enquanto Claire realizava trabalhos para clientes ou dava aulas.

Fotografar animais não é uma tarefa fácil e, por essa razão, Claire tenta conhecer ao máximo cada animal, assim como o seu comportamento. Depois desse processo, pesquisa quais os melhores acessórios para cada espécie, do ponto de vista estético e alimentar. Esta fase, recorda Claire à P3, dá-lhe muito gozo.

1 / 5

Claire Rosen

2 / 5

Claire Rosen

3 / 5

Claire Rosen

4 / 5

Claire Rosen

5 / 5

Claire Rosen

Flamingos, hienas, abelhas, cabras da Bósnia-Herzegovina, gibões da Tailândia, estrelas-do-mar da Noruega, bisontes dos Estados Unidos, são apenas algumas das espécies que a lente de Claire já fotografou. A fotógrafa acredita que muitas das espécies compreendem como hão de agir. Esse aspecto, refere3, é bastante interessante, e permite “contactar com as suas personalidades e ver quão humanos são no seu comportamento. Sinto-me muito afortunada por poder usufruir deste tipo de experiência.”