Crónicas do Fidalgo

Experiências

O manifesto Co-living e o Samesame em Lisboa

Co-living: um conceito desconhecido para muitos mas que se encontra em grande expansão.

Imaginemos uma casa, com vários quartos, várias camas, cozinhas equipadas, ginásio e contratos sem obrigações. Este é o conceito de co-living. Para além de uma forma de combater a crise imobiliária resultante da falta de oferta de habitação, é uma filosofia. O co-living tem como objectivo o fomento do espírito de comunidade e o desenvolvimento das relações e dos laços entre as pessoas, para uma maior capacidade de vivência em grupo.

A novidade é que Lisboa abriu o seu primeiro espaço de co-living, algo em que já várias cidades no estrangeiro tinham apostado. Lisboa não fica atrás, e com a falta de habitação - sobretudo para estudantes ou jovens profissionais - o co-living vem, a menor custo, proporcionar boas condições de habitação.

Samesame é o nome do alojamento, situado na Mouraria. Foram três jovens amigos que o criaram. O Gonçalo Caldeira, responsável pela gestão geral e financeira, a Filipa Meirelles, responsável de marketing, e o Gonçalo Lopes, responsável pelas operações gerais e organização dos eventos.

1 / 5

2 / 5

3 / 5

4 / 5

5 / 5

Gonçalo revelou à NiT que o Samesame nasceu de um casamento entre a necessidade de trabalhar e o amor por viajar, e que a motivação foi a de juntar artistas e criativos para que fossem lançados projectos disruptivos e com valor. E é precisamente neste espaço que ficam estrangeiros que escolhem Lisboa para começar o seu projecto, ou artistas e estudantes.
Tudo é novo neste espaço, da própria habitação à filosofia que a move: um espaço de co-living que se foca na transmissão de inspiração para quem quer criar, espaços partilhados, onde se pode conviver e inspirar através de outros, entrar em contacto com as culturas e até dedicar-se ao lazer.