Crónicas do Fidalgo

Experiências

Vinhos biodinâmicos e a influência da lua…

Durante uma boa parte da minha adolescência, partilhei com os meus dois irmãos e alguns dos seus amigos um hobby exigente e fascinante, como qualquer desporto no mar. Na caça submarina, excedemo-nos em atenção, rigor e dedicação. E um dos aspetos que sempre me fascinou nesta atividade foi a forma como a lua influencia as marés… ao ponto de ser responsável por proporcionar um dia de mergulho inesquecível ou de não permitir que se veja um palmo à frente, debaixo de água.

Não é novidade que esta força da lua, que se exprime tão bem sobre as marés, influencia muitos outros momentos quotidianos. E na viticultura ou enologia, o efeito também se faz sentir.

Para se perceber do que estou a falar, vamos recuar na história. Rudolph Steiner (1861-1925), um cientista e filósofo Austríaco, chegou à conclusão, muito antes dos seus contemporâneos, de que se o Homem não criasse respeito pela terra, rapidamente traria a destruição à mesma. E assim desenvolveu um pensamento objetivo do mundo espiritual, relacionando-o com o mundo físico. Este pensamento biodinâmico foi desenvolvido em várias áreas, como a educação e também a agricultura.

Num ciclo de palestras em 1924, Rudolph Steiner deu os fundamentos teóricos e práticos sobre o que viria a dar origem ao método biodinâmico. Mas este filósofo foi mais além no que é hoje tema do dia - o respeito pela terra -, salientando as diferenças em relação ao método de agricultura biológica e a interação entre o que é terreno e o cosmos. Na verdade, existe uma base científica e palpável para os seus ensinamentos, que hoje são utilizados e desenvolvidos por muitos seguidores. É o caso dos preparados para tratamento da vinha à base de chás de plantas consideradas medicinais em homeopatia, entre outros. Mas haverá também práticas esotéricas cuja influência não podemos comprovar, até porque não compreendemos ainda o impacto do cosmos no terreno.

O mais importante é que a biodinâmica procura criar ecossistemas auto-suficientes que promovam o equilíbrio animal com o vegetal. Promove a criação de ecossistemas fechados, em quintas ou herdades onde não se introduzem substâncias externas, sintetizadas ou não, resultando em sistemas auto-sustentáveis conduzidos pelo homem, mas regulados pelo calendário do cosmos.

O que são então os vinhos biodinâmicos? São vinhos em que o produtor procura ter a menor intervenção, ou uma intervenção mínima, para o máximo de respeito. Estes vinhos são especiais desde a sua origem e devem ter uma qualidade máxima, uma vez que tudo o que os envolve exige dedicação, experiência e aperfeiçoamento. São vinhos onde o produtor demonstra o seu respeito pela natureza e onde o cosmos e, claro, a lua também tomam decisões.

Hélder Cunha
A minha vida é o vinho

ID Hélder Cunha

Tenho 42 anos, sou de Cascais, estou bem casado e tenho quatro filhos lindos (3 rapazes e uma menina, que é a caçula). Licenciado em Engenharia Agro-Industrial e enólogo de profissão, fiz a minha primeira vindima em Napa Valley, Califórnia e a minha tese em Geisenheim, Alemanha. Depois de aperfeiçoar a minha enologia noutras empresas fundei a Casca Wines em 2008. Pelo caminho fiz a série de televisão Rotas do Vinho onde, com o José Fidalgo, partilhei o meu Portugal vinícola. Hoje faço vinhos em 12 regiões do país, e nos 60.000 Km/ano levo comigo o Cacau (um cão Labrador Chocolate).